Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

AS GLÓRIAS TERRENAS QUE EMPANAM AS RECOMPENSAS DIVINAS

Lendo-se os evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas), respectivamente, os capítulos 26.36ss; 27; 15; 23.26-48, verifica-se todo o episódio do sofrimento e morte do Senhor Jesus Cristo. Essa mesma porção da Escritura Sagrada tem servido de fonte para a produção dos mais dramáticos filmes que buscam reproduzir todo o sofrimento do Mestre.
Aqui, convém meditar na solidão a que o Senhor ficou entregue no sofrimento crucial. Todos o abandonaram, pendurado no madeiro (Lucas, 23.49).
Morto o Senhor, apenas um homem, José de Arimateia, ousou solicitar-lhe o corpo, a fim de sepultá-lo dignamente (Lucas, 23.52; Atos, 2.27)). Os condenados à cruz não tinham direito a sepultamento digno; visto que eram chamados "maldito de Deus", conforme registra Deuteronômio,21.23.
O Filho Unigênito do Pai tornou-se maldito em nosso lugar; desfez-se da sua Majestade e glória, para humildemente assumir o lugar que era nosso.
Jesus não foi honrado neste mundo; foi homem de dores, de sofrimento; suportou as mais vis humilhações, sendo inocente e sem pecado algum.
Seus seguidores carregaram sofrimentos desde a instituição da Igreja. Estêvão foi o primeiro mártir; sucumbiu apedrejado sob a fúria de seus algozes; Tiago foi morto a espada; Pedro crucificado; Paulo foi decapitado. Nenhum deles recebeu honras na vida terrena.
Em nossos dias, a morte de líderes evangélicos tem sido honrada com tudo quanto se dá a homens mundanos, que tiveram altas posições sociais e políticas. Diante de suas urnas fúnebres, proferem-se elogiosos discursos. Disputa-se o maior grau de intimidade com o falecido. Tudo em "honoris causa" daquele que partiu. Por fim, vai-se a "urna santa" conduzida em lustrosas viaturas do Corpo de Bombeiros, com soldados perfilados e batedores com motocicletas.  Tais líderes recebem aqui boa parte da recompensa por seu trabalho.
Não é improvável que parte da recompensa celestial tenha sido trocada pela honraria humana.
Ev. Izaldil Tavares de Castro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário