Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

domingo, 11 de março de 2012

LUZ NAS TREVAS?

Em princípio, nada mais evidente do que a percepção de que a noção de luz exclui a ideia de treva (ou trevas, se assim se quiser). A possibilidade de o homem ter essa percepção foi instituída pelo próprio Deus, o qual, no princípio, fez a separação entre ambas as realidades: "... e a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo. E disse Deus: Haja luz. E houve luz. E viu Deus que a luz era boa; e fez Deus separação entre a luz e as trevas." (Gn 1: 2-4).
Todo homem tem perfeita consciência do que seja luz e do que seja treva; nem mesmo os portadores de deficiência visual absoluta podem desconhecer que vivem uma situação tenebrosa, tendo em vista que se tornam limitados para atuar livremente, com plena liberdade. Luz é Liberdade (João, 8:32).
Por causa dessa consciência inerente não há quem discuta a dicotomia da vida humana; em outras palavras: ou se está em luz, ou se está em treva. Em situação de treva não há percepção visual e o homem se perde, vive tateando na escuridão.
Desde o pecado do primeiro casal, o mundo inteiro mergulhou em densas trevas, já que se afastou da Luz. A humanidade ficou imersa e perdida em densa escuridão. Em que trevas se acha o homem afastado de Deus!
Porém, grande é o amor divino (João, 3:16). Esse amor inaudito enviou a luz aos que a buscarem. Daí a metáfora perfeita usada pelo Senhor Jesus, quando declara que Ele é a luz do mundo: "Eu sou a luz do mundo"(João 8: 12). Essa foi a segunda vez em que a Trindade Eterna proclamou: "Haja luz.". É essa luz (o Senhor Jesus) que traz aos seus seguidores a condição de também serem luz. Disse o Senhor: "Vós sois a luz do mundo"(Mateus 4:14).
Por que os salvos por Cristo são a luz deste mundo? Porque com eles aconteceu o que registra o profeta Isaías: "O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na região da sombra de morte resplandeceu a luz" (Isaías, 9: 2). Por fim, não há salvo em escuridão.
Muitos crentes, de modo inadvertido, têm pensado em andar misturado à vida mundana; que significa isso? Significa andar em região de sombra da morte; sgnifica que para o tal "crente" a luz não resplandeceu. O apóstolo Paulo esclarece essa situação na Carta aos Efésios, 5. Ele marca firmemente, dizendo: "... Porque noutro tempo,éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor, andai como filhos da luz.(Ef 5: 8).
Os que não dão ouvidos à doutrina bíblica justificam sua desobediência a esses preceitos com a mais inverossímil das explicações, para a sua permanência mundana: Temos que ser luz nas trevas! Mas não há luz nas trevas. No princípio Deus já fez a separação, como já afirmei acima. Ou há luz; ou há treva! Não há possibilidade de se alternar: "ora luz; ora treva."
Não há luz nas trevas. Logo, amado irmão, se você é luz,
há de extirpar as trevas ao seu redor. A comunhão entre as duas situações não existe!
Portanto, é necessário que cada crente seja um verdadeiro representante daquela Luz que sobrevém àqueles que andam em trevas, a fim de que eles também se tornem luz neste mundo. Você é luz do mundo; mas, jamais será luz nas trevas.

Um comentário:

  1. Transportando via link para minha página no facebook com sua posterior anuência. Ótimo comentário.

    ResponderExcluir