Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

DOMINGO É UM DIA DIFÍCIL II

Claro que você leu o texto anterior. O que ele expressa é a mais clara constatação do que ocorre na maioria das igrejas evangélicas. Os crentes estão em estado de apatia relativamente à necessidade de um verdadeiro culto a Deus. O apóstolo Paulo pede, roga à igreja para que cada irmão apresente o próprio corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, o que é um culto racional (Romanos 12: 1).
Meditemos:
1. sacrifício vivo: trata-se de oferecer a Deus um culto que abre mão da própria vida, dos interesses pessoais, das decisões. É uma entrega absoluta no santuário.
2. santo: a palavra sacrifício significa “fazer sagrado”, isto é, o exercício de uma atividade dedicada a Deus. Trata de o crente apresentar um culto (sacrifício) santo. Ora, que quer dizer santo? A palavra significa sagrado, separado, exclusivo para Deus; indisponível para qualquer outro fim. A dedicação do corpo como culto a Deus tem de ser santa, exclusiva. O culto não é atividade para reunir amigos, não é um encontro social. O culto, também chamado sacrifício, é a devoção absoluta a Deus.
3. agradável a Deus: O homem faz coisas que podem agradar ou não a Deus. Como o culto pode ser atividade agradável a Deus? A Bíblia aponta o que agrada ao Senhor: “Louvarei o nome de Deus com cântico e engrandecê-lo-ei com ação de graças, isto será mais agradável ao Senhor do que o boi ou o bezerro que têm pontas e unhas” (Sl 69: 30-31). “Seja-lhe agradável a minha meditação; eu me alegrarei no Senhor” (Sl 104: 34). “Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens” (Rm 14: 18). “E qualquer coisa que lhe pedirmos dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que é agradável à sua vista” (I Jo 3: 22).
4. culto racional: o apóstolo fecha seu rogo, explicando que esse é o culto racional, isto é, prestado com uma inteligência aplicada à devoção ao Senhor.
No texto anterior afirmei que o Senhor Deus não tem se agradado de muitos cultos. Se compararmos as atitudes de grande parte dos crentes, em nossos dias, com o que registram as Escrituras Sagradas, relativamente ao assunto, compreenderemos quão distante se deve estar da prestação do verdadeiro culto de adoração ao Senhor.
Vivemos uma época em que as reuniões de cultos são mal-entendidas. Estarrece ler comentários sobre cultos como um que se lê em matéria posta na mídia: “Gosto de tirar um tempo para ir à igreja, porque lá eu me sinto mais calmo”. Então, o templo virou lugar de psicoterapia? Realmente, Deus não tem se agradado disso tudo.
É necessário que a Igreja restabeleça o verdadeiro culto a Deus; um culto que lhe suba como cheiro suave de entrega, de louvor de adoração sinceros e racionais.
“E o Senhor aspirou o suave cheiro...” (Gn 8: 21).

2 comentários:

  1. Nobre mestre, é lamentável o fato aqui exposto, mas não podemos negar que é verídico. O dia que o templo voltar a ser o centro da adoração ao Deus vivo e verdadeiro, o autêntico avivamento será visível, paupável e inconstetável. Oxalá que no próximo culto, os que lerem sua postagem, possam assumir a atitude correta de um verdadeiro adorador. Um grande abraço de seu eterno aluno. Pr. Wellington Silva, Boston, USA

    ResponderExcluir
  2. Irmão Tavares, passo mais de 10 horas no meu trabalho, de segunda a sexta-feira. Mas sabe qual o momento que mais me estresso? Domingo à noite, no momento do culto. Saio de casa com minha família, no anseio de cultuar ao nosso Deus, de alimentar a alma com louvores genuínos e mensagens inspiradas pelo Espírito Santo, mas no decorrer da reunião vejo que o excelso de cânticos, cujas letras e ritmos, na maioria deles, são destoantes da pureza doutrinária bíblica; mensagens ufanistas, submetidas aos ditames do positivismo que tanto tem manchado o genuíno evangelho apostólico. Às vezes tenho que ficar satisfeito por não ter convidado alguém para assistir ao culto. Confesso, sem titubear, que os momentos que passo estudando a Palavra de Deus, seja sozinho ou na EBD(para mim o momento mais especial da semana) são os melhores que tenho no decorrer da semana; são estes momentos que têm fortalecido a minha fé; que tem me alicerçado na Rocha; que tem me firmado no caminho do Senhor.
    Sinceramente, se aqueles que se dizem cristãos não procurarem ler e estudar sistematicamente a Palavra de Deus; busca-lo em oração, passarão por inevitáveis dificuldades espirituais na sua jornada cristã, e poderão até mesmo se desviarem da fé, pois não se sustentarão diante das sutilezas de Satanás, que pertinaz procura destruir o crente e desvia-lo do caminho do Senhor, principalmente os incautos e indoutos. As liturgias, na maioria das igrejas, não proporcionam mais sustância espiritual aos participantes do culto, haja vista que a visão celestial, escatologicamente falando, está fora do seu contexto; o negócio é o aqui e agora.
    Urge, portanto, um avivamento (mudança de caráter, de posição) da Igreja local; uma rápida mudança no caráter dos líderes, no sentido de voltar ao primeiro amor.
    Apesar de tudo isso, não devemos abandonar “nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia”(Hb 10:25).
    Que Deus te abençoe, irmão Tavares.

    Luciano Lourenço

    ResponderExcluir