Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

quinta-feira, 2 de março de 2017

POR QUE TANTA CREDULIDADE NOS CRISTÃOS ATUAIS?


A prudência é um dos pontos mais importantes para a Igreja nos tempos atuais. Apesar de tantas recomendações salvadoras, há um enorme contingente de cristãos mergulhados nas águas barrentas de uma credulidade pueril.

Desde as primeiras páginas do Gênesis, Deus chama o homem para a prudência e observação dos princípios norteadores de uma vida espiritual sadia e, por conseguinte, norteadores de uma sanidade física e intelectual. Adão foi o pai dos imprudentes, juntamente com sua mulher, Eva. Terminaram eles por pagar o mais alto preço da desobediência às determinações do Senhor.

A imprudência humana é a mãe da estultícia, ou estupidez atrevida, essa imprudência estulta submete o homem às maiores desgraças em sua existência. Satanás sobrevive da imprudência por ele gerada, a qual foi inoculada na humanidade por meio do primeiro casal, no Éden.

Muitas vezes, a imprudência assume ares de ingenuidade; aliás, é assim que ela é gerada e se desenvolve até chegar à estupidez assumida.

Abrão e Sara deram a sua parcela de imprudência à humanidade, porque não confiaram na providência divina e resolveram (com estultícia) “resolver” o que viam como impossibilidade. Até hoje o planeta sofre as consequências daquele desatino abrâmico.

O Egito sofreu as graves consequências da imprudência de seu soberano, o Faraó. Se me fosse estender em trazer à tona os casos relatados nas Escrituras Sagradas, muitas páginas seriam necessárias. Mas, atentemos para os nossos dias.

Não existe imprudência desavisada; ela sempre resulta do risco assumido. Ora, se há risco precedendo a atitude imprudente, por que não se observam os riscos? Porque na humanidade está entranhada a estultícia de Satanás. O evangelista João dá conta de que Jesus veio desfazer as obras do diabo (1Jo 1.8b).

Os cristãos precisam zelar pela prudência; muitas são as passagens que alertam para isso. “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; e a ciência do Santo, a prudência” (Pv 9.10). Ora, não há sabedoria sem temor a Deus; nem prudência naquele que desconhece ao Senhor. O profeta Oseias diz: “Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor...” (Os 6.3).

Por que se verificam tantas ingenuidades nos que se declaram cristãos em nossa era? Por que tão grande quantidade de almas são facilmente enganadas pelos falsos religiosos? Há sim, uma resposta indiscutível para isso. A Bíblia informa: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou conhecimento;...” (Os 4.6a).

Diante dessa constatação, é indiscutível apontar o deslize dos responsáveis pelo ensino bíblico nas igrejas. Grande parte das lideranças cristãs desobrigaram-se do discipulado, embevecidas com a busca do crescimento numérico de suas congregações. Essa falha abriu uma ampla porteira para o falso evangelho, distribuído ente os incautos que, tornados imprudentes, lançam-se cegamente nos braços de algozes movidos pela ganância do dinheiro e do poder.

Peçamos a Deus que permita o aparecimento de líderes aptos ao discipulado, homens com visão adequada ao Reino de Deus, despojados dos abusados interesses materiais. Talvez assim, seja, ainda, possível salvar alguns dos imprudentes que estão alinhados com os profetas de um “Belial” contemporâneo, os quais estão empregando as mais modernas tecnologias e mídias em serviço da perdição de milhões de almas.

Um comentário:

  1. Palavra muito útil especialmente nos tempos em que vivemos. Que o Senhor Deus lhe abençoe sempre. Abraços.

    ResponderExcluir