Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

sexta-feira, 20 de março de 2015

BIBLIA: REVELAÇÃO DE DEUS AO HOMEM

 A principal preocupação e, sem dúvida, a maior insistência no meio cristão é a “leitura da Bíblia”. Desde a minha infância ouvi a leitura da Bíblia diariamente e, depois de alfabetizado, não me apartei da leitura habitual da Palavra de Deus.
Não há professor de Escola Bíblica ou pregador que não insista na necessidade da leitura bíblica diária.
Os judeus, grandes religiosos, eram ensinados desde crianças a ler o texto sagrado. Eles tinham a leitura das Escrituras como um dever indispensável. Jesus, aos doze anos, discutia o texto sagrado com os teólogos do seu tempo. O empenho judaico pela leitura bíblica do Antigo Testamento era bem mais intenso do que o empenho demonstrado pelos cristãos dos nossos dias.
Eles não só liam e decoravam o texto sagrado; como também aprendiam com os rabinos as interpretações textuais. Eles faziam isso cuidadosamente, criteriosamente. Quero dizer que eles estudavam os assuntos com muito interesse. Jesus mostra que eles se esforçaram erradamente nesses estudos, tanto que terminaram por fazer suas próprias interpretações, gerando ensinos que se tornaram tradições e normas a serem seguidas.
Jesus, porém, não negou esse aspecto positivo do comportamento estudioso daqueles fariseus; mas atacou a finalidade deles: o maior dos seus erros. Leiamos dois trechos:

JOÃO, 5. 39-40 e MATEUS, 22. 29

Vamos observar duas versões: a NVI e KJ:

NVI:

Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito; contudo, vocês não querem vir a mim para terem vida” (João 5.39-40)

Vocês estão enganados, porque não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus!” (Mateus, 22.29) (NVI).
 
KJ:

Vós examinais criteriosamente as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testemunham acerca de mim.; todavia vós não quereis vir a mim para terdes vida” (João 5.39-40)

Vós estais equivocados por não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus” (Mateus 22.29) (BKJ) (Os grifos são meus). 

Os textos deixam claro que, relativamente à Bíblia, não basta a leitura constante, diária; também não basta empenho teológico, estudo profundo, buscado nos mais renomados comentaristas e exegetas. Esse cuidado tinham os fariseus. Porque o grande orgulho deles era mostrar-se, cada um, melhor do que o outro em conhecimento.
 Muitas vezes eles se deram mal, quando vinham interpelar Jesus com base no conhecimento que pretendiam mostrar sobre as Escrituras.
Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens” (Marcos, 7. 8).
No episódio do jovem rico, o Senhor afirmou que ele conhecia os mandamentos; mas faltava-lhe alguma coisa. (Marcos, 10. 17-22).
E nós, os cristãos deste século, como tratamos o conhecimento da Bíblia? Que tipo de contato temos com a Palavra de Deus? Examinemos:

1)      Há, incrivelmente, entre nós, os que negligenciam sistematicamente a leitura da Bíblia; não dedicam qualquer tempo à Palavra de Deus. Como se cristão sem conhecer a mensagem de Cristo? Que diretriz a Bíblia traz para a sua vida? Que alimento espiritual você usa? A maioria das pessoas lota salões de seitas hereges, porque desconhece a Palavra de Deus. Nada pode avaliar.

2)      Há os que apenas se conformam com a leitura superficial, sem meditação alguma; como por obrigação. Não põem a mente para receber e meditar; não se alimentam da Palavra em estudos bíblicos; rejeitam a Escola Dominical. Esses, juntamente com os anteriores, constituem a maioria dos frequentadores de falsas igrejas cristãs.

3)      Há os que não leem, nem estudam, porque se julgam prontos e conhecedores; até citam trechos decorados, assim faziam também os judeus do tempo de Cristo. Os tais nunca se dispõem a aprender da Palavra; são sábios a seus próprios olhos.

4)      Há os que a estudam atenta e criteriosamente, porque necessitam mostrar seu profundo conhecimento do conteúdo bíblico, buscado nos grandes comentaristas. Citam nomes importantes, usam palavras das línguas originais do texto. Aparentam um preparo invejável, quais os fariseus. Porém, são vazios do poder de Deus, porque sua finalidade é outra.

5)      Felizmente há os que têm na Bíblia tudo quanto o homem precisa para conhecer o caminho da Salvação. Há os que sabem que de Gênesis a Apocalipse existe uma mensagem perene de Deus para o coração humano. Há os que sabem que pela Palavra de Deus são renovados a cada dia, diante de cada circunstância. Existem os que veem a Bíblia como a fonte de Deus a qual renova o espírito: “Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e santidade proveniente da verdade.” (Efésios, 4. 22-24).

Conclusão:

A Igreja cristã vive dias difíceis, os tempos se abreviam, o avanço do mal é inegável, as heresias se tornaram um vírus avassalador. Tudo acontece coimo uma forte onda que leva o que alcança. Multiplicam-se a vida desregrada e o pecado. A única solução é saber o que a Bíblia diz a respeito dessas coisas. Para o cristão bíblico tais situações não são novidade, mas a confirmação de que a Palavra de Deus é infalível.
Pela Bíblia sabemos que: “Aquele que habita no abrigo do Altíssimo, e descansa à sombra do Todo-Poderoso pode dizer ao Senhor: ‘Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio” (Salmo 91.1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário