Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

domingo, 2 de março de 2014

ENSINAR É GERAR MENTES SADIAS


Ensinar é, antes de tudo, despertar raciocínios, transformar mentes; ou seja, ensinar é gerar um indivíduo para formar uma sociedade. Se partirmos dessa premissa, concluiremos que, no Brasil, há tempo não se pratica o ensino.

Crianças frequentam escolas em que não se nota o menor interesse pela formação dos indivíduos que deverão compor uma sociedade bem equilibrada. Na escola, pelo menos na maioria delas - sejam públicas ou privadas - não se preza a disciplina, condição “sine qua non” para que se tenha um “discípulo” verdadeiro. Discipular opõe-se a “indisciplinar” ou aceitar a indisciplina. Assim, o problema começa na relação mestre-discípulo, porque já, praticamente, não há mestres como outrora.

Praticamente, a instituição chamada de escola particular abraçou o viés comercial, por meio do qual “empresários da educação” (?) enchem seus bolsos ano a ano; e, para a manutenção de um “status” comercial, contratam professores cuja eficiência profissional carece de aval. Os respeitáveis livros didáticos de outros tempos deram lugar a famigeradas “apostilas”, as quais, quanto mais coloridas, mais atraentes; porém, paupérrimas de conteúdo. Os professores dessas redes são bem apessoados, jovens, geralmente provindos da classe média alta e de outras escolas particulares; por isso, intimamente ligados aos seus alunos, naquilo que se refere ao “meio social”. Mas esse “meio social” é corrompido há muito tempo; logo...

A escola pública praticamente dispensa comentários, é exatamente o inverso, pois recebe um alunado sem estrutura social, que será “orientado” por professores que ministrarão mais de uma matéria, carregados de burocracia, papéis, papeletas, correção de “PDL: prova dada na lousa”. Na escola pública o pátio é a grande sala de aula.

Diante disso, fica muito difícil entender que haja processo educacional disponível a todo cidadão brasileiro, ainda que se ressalve uma escola particular aqui ou ali; uma escola pública ali ou acolá. Mas, tanto ali como acolá há milhares de cidadãos carentes de ensino, os quais jamais serão alcançados por essa bênção. Pobre educação brasileira!

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário