Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

FALE E ESCREVA DIREITINHO IV

Caso 11.
Forma indevida:
Você é contra ou a favor do voto secreto?
Forma adequada:
Você é contrário ao voto secreto ou favorável a ele?
Comentário:
Problema sério de vocabulário! A frase indevida empregou uma preposição: contra e uma locução prepositiva: a favor do; em vez de usar, respectivamente, os adjetivos contrário e favorável, que funcionarão como predicativos do sujeito. Não use contra em lugar de contrário; nem a favor, no lugar de favorável. Erro comum, mesmo entre pessoas de bom gosto!
Caso 12.
Forma indevida:
A recusa da jovem deixou o rapaz frustrado.
Forma adequada:
A recusa da jovem frustrou a intenção do rapaz.
Comentário:
É necessário saber-se que frustrar é impedir. Ora, o que a jovem impediu não foi o rapaz, mas a intenção dele. Ninguém é frustrado, mas, sim, as suas intenções! Se a polícia frustrou o assalto o ladrão ficou frustrado? Por extensão, alguns dão a esse adjetivo o sentido de decepcionado. Não vale!
Caso 13.
Forma indevida:
Ser honesto sempre vale a pena.
Forma adequada:
Ser honesto sempre traz compensação.
Comentário:
Ora, uma pena é um castigo, uma penalidade! Desde quando a honestidade é castigo? Muitas expressões adquirem um sentido diferente por causa do mau uso. Melhor será dizer-se que ser honesto é compensador, traz compensação. Coisas boas não se relacionam a uma pena.
Caso 14.
Forma indevida:
Minha descendência, tanto materna quanto paterna, é italiana.
Forma adequada:
Minha ascendência, tanto materna quanto paterna, é italiana.
Comentário:
Descendentes são meus filhos, netos, bisnetos; os que vêm depois de mim. Meus antepassados: pais, avós, bisavós são meus ascendentes. Logo, os meus antepassados me representam a ascendência, jamais a descendência.
Caso 15.
Forma indevida:
Meus pais estão ao par da situação.
Forma adequada:
Meus pais estão a par da situação.
Comentário:
Se temos conhecimento de alguma coisa, estamos a par disso. A expressão ao par é empregada no sentido de posicionar lado a lado ou em equivalência. Pode-se dizer: O dólar está ao par da moeda chinesa.
Caso 16.
Forma indevida:
A quantia de produtos apreendida era grande.
Forma adequada:
A quantidade de produtos apreendidos era grande.
Comentário:
Não se usa a palavra quantia para fazer referência a coisas ou a pessoas; quantia somente de dinheiro. Para coisas ou pessoas emprega-se a palavra quantidade.

4 comentários:

  1. Mais uma vez, parabéns pelas excelentes explicações!
    Os casos 11 e 12, difíceis de serem empregados corretamente em textos e na linguagem corriqueira.
    Caso 13, esse já vi várias vezes ser empregado em livros e na imprensa escrita e falada. Gostei muita desta explicação!
    Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Nossa professor! Quantos erros que cometo dieriamente e que passam despercebidos! Estou até com medo de cometer algum neste comentário...rs...
    ("rs" pode usar?). Concordo com o comentário acima de Luciano de Paula Lourenço, e acrescento os casos 12, que o senhor comentou hoje na aula e o 14 como os erros mais frequentes que eram cometidos por mim! E se errei em algo aqui, por favor me corrija!
    Gostei muito. Vou passar por aqui com bastante frequencia!
    Beijos e até amanhã!!

    ResponderExcluir
  3. Caro professor e amigo,

    Perdoe-me, por favor... Mas "valeu a pena" ter lido seus textos. Sobremodo instrutivos. Parabéns!

    Ciro Sanches Zibordi

    ResponderExcluir
  4. Caro Pr Izaldil de Bereano so o nome,e outra concordo sim que meu Português nao e um dos melhores pois no Pais que moro quase nao falo o português,e outra escreva para mim um carta em english sem o ajuda do google okay?
    In proxima vez tire a barba,para fica de pe diante de D'us.

    ResponderExcluir