Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

POR QUE FAÇO APELO NOS CULTOS?

Como sempre digo, o "evangeliquês" consagra algumas palavras e expressões às quais fixa um significado que passa de geração a geração. Aqui, trata-se da palavra "apelo", isto é, o convite feito ao final de um culto, ou de uma mensagem evangelística, para que pessoas presentes decidam aprender mais sobre a salvação da alma e mais sobre a verdade do evangelho de Jesus Cristo.
Essa prática, frequente em algumas igrejas bem preocupadas com a salvação de todo aquele que crê, é absolutamente bíblica.
Na verdade, "apelo" substitui o termo "convite", até com certo sabor de insistência, porque o Senhor Jesus deu a ordem de se fazerem discípulos; e discípulos precisam ter o interesse despertado, sim.
Quanto ao convite ou apelo ter fundamentação na Escritura neotestamentária bastaria um só versículo: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo" (Ap 3.20). Bater à porta é apelar para a atenção de outrem. Ouvir a voz do que chama é atender ao apelo. Entretanto, podem-se acrescentar outros apelos do Senhor, registrados em Mateus 4.19; 11.28; 16.24; João 7.37. No Antigo Testamento também se lê: "Ó vós todos os que tendes sede, vinde às águas; e vós que não tendes dinheiro, vinde comprai e comei; sim, vinde e comprai sem dinheiro e se preço, vinho e leite" (Is 55.1).
A Bíblia toda é um apelo, um convite de Deus à humanidade!
Entretanto, têm estado nas redes sociais à vista de quem quiser, mensagens de quem se orgulha de não usar convite para a salvação. Pregam para os sãos, talvez, mas abandonam os doentes, os carentes à própria mercê. E são pastores os que assim declaram!
Esses tais veem-se aplaudidos por muitos que não examinam as Escrituras, mas enroscam-se em teologias discutíveis, se confrontadas com a Bíblia. Alguns chegam a tão grande arrogância, que discriminam irmãos em Cristo, tachando-os de ignorantes! Esse preconceito grosseiro é lido em diversos comentários completamente estúpidos e desarrazoados, nas postagens também mal intencionadas.. Em geral buscam atingir as igrejas pentecostais, sobretudo, a Igreja Assembleia de Deus.
Os crentes - pastores ou não - que se põem como adversários da prática do convite para a salvação em Cristo deveriam criticar o Mestre, que não veio fazer palestras para os "escolhidamente" perfeitos, mas dedicar o seu trabalho na busca dos espiritualmente doentes, fazendo apelos para que compreendessem que a Salvação estava-lhes ao alcance.
Preguemos a Palavra de Deus ao mundo e façamos inumeráveis apelos, a fim de salvar do inferno almas que no mundo estão perdidas; é assim que cumprimos a ordem do Senhor como registra a parábola da grande ceia, em Lucas, 14.24.
Ev. Izaldil Tavares de Castro.
Ver mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário