Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

segunda-feira, 16 de maio de 2016

PASSANDO DE SIMÃO BARJONAS A PEDRO

Já ouvi muito crente dizer que nada tem a ver com política. Trata-se de uma afirmação - que precisa ser combatida - reveladora de ignorância da cidadania. Todo ser humano é político. Fazemos política quando exercemos uma profissão em troca de um salário acordado; fazemos política quando falamos de qualquer assunto em casa, na sociedade, na igreja; fazemos política quando orientamos a nossa família a seguir o que julgamos oportuno ou correto. A política é característica naturalmente humana. Se somos adeptos, ou não, daquilo que alguém faz, praticamos política!
Claro que na condição de cristãos, como discípulos do Senhor Jesus, priorizamos os assuntos do Reino de Deus; por isso, todas as nossas manifestações políticas (partidárias ou não) precisam pautar-se pela Escritura Sagrada. Fazemos isso com normalidade? Não!
Muitas vezes, cometemos grandes falhas (eu confesso as minhas) por causa do entusiasmo que nos vem no combate aos erros e desmandos que percebemos: são coisas que, não raramente, nos provocam até um descontrole emocional. Ainda temos muito do discípulo Simão Pedro!
Para nos encontrar, basta lermos os Evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos, Lucas). Neles temos conhecimento das inúmeras falhas daquele pescador da Galileia. Muitos somos como ele!
Entretanto, o galileu sanguíneo foi encontrado pelo Manso Galileu, que lhe foi mudando o caráter, no decurso de três anos, até que Simão Barjonas fosse tornado o apóstolo Pedro, dirigente da igreja primitiva, instituída pelo Senhor Jesus.
Certo é que vivemos num mundo conturbado. Certo é que nos irritamos com a pecaminosidade crescente à nossa volta. Certo também é que quase sempre desembainhamos a espada para defender os bons princípios, para defender a igreja de Cristo etc. Porém, certo é que, assim como Jesus reprovou tantas atitudes de Pedro, tem reprovado as nossas.
Precisamos arrependermo-nos da nossa sanguinidade, a fim de que, ao pretender ir ter com o Mestre, andando por sobre as ondas, nossa fé não esteja naquilo que "podemos", mas n'Aquele que dia a dia nos molda, até que cheguemos à estatura de varão perfeito: o próprio Senhor Jesus.
Peçamos a Deus, no nome Senhor Jesus, que o Espírito Santo domine a nossa vida, a nossa compreensão e as nossas ações. Que Ele nos molde, fazendo-nos em todo tempo e em todo lugar verdadeiros discípulos do Mestre, que nos chama de sal da terra e luz do mundo,
Ev. Izaldil Tavares de Castro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário