Translate:

Pesquisar este blog

Receba as atualizações do blog em seu e-mail:

• Arguivo do blog

sexta-feira, 23 de maio de 2014

USANDO O PRONOME ADEQUADO

A norma culta da língua faz exigências quanto ao emprego dos pronomes pessoais oblíquos (átonos ou tônicos; consulte tabela numa gramática). Esses pronomes exercem, basicamente, a função de complemento do sentido de um verbo, ou seja, podem funcionar como objeto direto ou indireto (questão pertinente à regência verbal). O pronome “lhe” jamais funcionará como objeto direto.

OBJETO DIRETO: Complemento do verbo, sem preposição. Exemplo: Comprei > laranjas.

OBJETO INDIRETO: Complemento com preposição necessária. Exemplo: Gosto>de>laranjas.

Então, não use o pronome “lhe” como complemento de verbos que pedem objeto direto.

Observe as seguintes formas inadequadas:

Eu lhe amo. Verbo amar pede O.D. Corrija para: Eu a amo/Eu o amo.

Vim lhe ver. Verbo ver pede O.D. Corrija para: Vim vê-lo/Vim vê-la.

Quero lhe cumprimentar. Verbo cumprimentar pede O.D. Corrija para: Quero cumprimentá-lo.

Assim acontece com os verbos: pagar (um débito); perdoar (um erro); namorar (uma pessoa)  

beijar, abraçar, entre outros.

Obs.: A norma culta não admite a forma “ namorar com...” Evite a preposição; namore alguém!

O pronome “lhe” será objeto indireto com os seguintes verbos:

Obedecer = obedeço-lhe; pagar (a uma pessoa) = pago-lhe; perdoar (a uma pessoa) perdôo-lhe. Há verbos que exigem os dois complementos (O.D.+O.I.). Nestes casos, é necessário cuidado, pois não se acumulam dois complementos de mesma função. Veja os exemplos:

Entreguei-lhe os presentes/Entreguei-o ao aluno.

                  O.I,        O.D                          O.D.    O.I.

Avisei- os do problema. / Avisei- lhes o problema.

            O.D.         O.I.                        O.I.        O.D.

Como você viu, um será objeto direto; outro objeto indireto (lhe).

Se achar difícil, estude! Enquanto isso, evite o uso do “lhe”, para não fazer feio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário